Inadimplencia condomínio

Inadimplência em condomínio: 4 dicas para cortar o mal pela raiz

Regularidade, segurança e organização. Tecnicamente, essas são as qualidades mais desejadas na administração de um conjunto residencial, que deve garantir um fluxo contínuo na prestação de serviços para o bem-estar dos moradores. Sendo assim, elaboramos este post sobre a inadimplência em condomínio.

Afinal, essa é uma das maiores preocupações para quem opera no segmento, incomodando síndicos, contadores e, até mesmo, os próprios condôminos. Por isso, dedicamos um artigo completo para a discussão do tema, elencando as melhores dicas para a redução desse fenômeno. Acompanhe!

O impacto da inadimplência sobre o condomínio

Logo de início, é importante notar que os condomínios são organizações que dependem do esforço colaborativo. Por conta disso, é fundamental que todos os moradores arquem com suas obrigações, garantindo um caixa operacional saudável.

Por sua vez, esse caixa deve ser capaz tanto de custear as despesas operacionais quanto de realizar os aportes de segurança, com a formação de uma reserva financeira para momentos emergenciais — como nos meses em que o condomínio precisa lidar com a inadimplência em massa.

Já de um ponto de vista técnico, é ainda mais fácil entender o impacto da inadimplência. Basicamente, o condomínio passa a realizar cortes com a demissão de funcionários, redução de serviços secundários e, nos casos mais graves, a venda de passivos, liquidando móveis e equipamentos para garantir o custeamento de serviços cruciais, como eletricidade, água, coleta de lixo e afins.

Com a escalada de eventos, os moradores percebem uma queda drástica na qualidade de vida. É por esse motivo que concluímos que a eficiência de um condomínio é diretamente proporcional à saúde de seu caixa, que deve contar com um fluxo consistente e previsível, além de uma gestão transparente e objetiva.

As 4 melhores dicas para reduzir a inadimplência em condomínio

Então, chegamos no ponto que interessa a todos. Em nossa experiência, observamos que existem quatro estratégias fundamentais — que devem ser implementadas juntas, independentemente do tamanho do condomínio. Confira!

1. Elaborar regras claras e objetivas

Toda situação complexa, como a gestão de pessoas, imóveis e pagamentos, exige alguns parâmetros básicos. Os moradores precisam saber pelo quê estão pagando, em que data devem pagar e quais as consequências possíveis de ignorar o pagamento — tudo explicado da maneira mais transparente possível.

É por essa razão que existem as assembleias, com a reunião de moradores que elaboram o regimento interno do condomínio. Aqui, falamos especificamente da construção de um conjunto de regras sobre os pagamentos, tornando público os direitos e deveres de todos nessa operação — inclusive, listando as medidas que o condomínio tomará em casos de inadimplência.

2. Notificar previamente

Curiosamente, uma das causas mais comuns do não pagamento de uma dívida é o simples esquecimento, uma negligência, muitas vezes, provocada pela rotina dos moradores e não por um ato de má fé. Para contornar essa situação, é fundamental que o condomínio tenha uma estratégia de notificar os moradores antes dos vencimentos, lembrando os esquecidos e evitando que esse grupo participe dos inadimplentes.

3. Costurar acordos

Antes de qualquer coisa, o condomínio deve ter uma abordagem compreensiva, pois pouco se sabe sobre a situação econômica pela qual o morador pode estar passando. Por isso, a boa gestão é aquela que está aberta a acordos, encontrando maneiras inteligentes de estimular o pagamento — desde que isso não prejudique o caixa do próprio condomínio.

4. Oferecer meios práticos para o pagamento

Para receber pagamentos, é fundamental que sejam eliminados todos os obstáculos possíveis, desde datas ruins para o vencimento (final de mês) até formatos muito restritos para receber o dinheiro. O melhor é oferecer uma série de opções, possibilitando o pagamento por débito automático, cartão de crédito, boleto e demais soluções que sejam convenientes aos moradores.

Por último, também é importante lembrar do impacto da conscientização sobre o comportamento dos condôminos. É fundamental que todos entendam seu papel na construção de um ambiente limpo, bem cuidado e feliz — livre dos estresses causados pela falta de recursos.

Pois bem, gostou deste post explicando os males e as prevenções contra a inadimplência em condomínio? Então, aproveite para receber mais conteúdos como este assinando a nossa newsletter!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.